Loja Física

51 3342.5959
51 3085.1959
51 3085.0959

Loja Virtual

51 3407.6559

Confira nosso horário de Atendimento:


Loja Física
Segunda à sexta-feira, das 8h30h às 18h
Sábados das 9h às 16h

Loja Virtual
Segunda à sexta-feira, das 8h30 às 18h

Endereço:

Rua Souza Reis, 519 - B. São João

Porto Alegre - RS - Brasil


Nossas redes

  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Black Instagram Icon
  • Pinterest Social Icon
  • Twitter Social Icon

Como melhorar as vendas com 10 dicas de gestão visual de loja

22/01/2019

Em tempos de crise, empreendedores de todos os setores de mercado se desdobram para vender mais e alcançarem o retorno dos seus investimentos. Afinal é o lucro que gera a renda e mantém um negócio ativo e “saudável”.

 

 

Diante deste cenário é muito importante apostar, inovar e se adequar a demanda dos consumidores. Contudo, algumas estratégias como anúncios, ofertas, mix de produtos, de nada valem se a “casa” não estiver arrumada. É importante atrair e ofertar de forma inteligente. Se você consegue trazer visitantes até a sua loja, deve proporcionar a eles uma experiência positiva e melhor ainda, além das expectativas. Esse é o diferencial do bom vendedor.

 

Confira 10 dicas de gestão visual que se bem aplicadas posicionarão seu negócio a frente da concorrência:

 

  1. AMBIENTE ACOLHEDOR - LAYOUT

 

Seu ponto de venda deve ser acolhedor e atraente. O ambiente interno, além da vitrine, deve encantar e proporcionar bem-estar ao visitante. Pense nas cores, aromas, som e iluminação. Faz toda a diferença. Quem entra deve se sentir a vontade, confortável durante todo o tempo de permanência.

 

Proporcione um contraste do externo com o interno. Mesmo que na primeira visita não realize uma compra, faça com que o futuro cliente tenha vontade de retornar, levando uma lembrança afetiva de sua loja.

 

Mesmo aqueles que não estão na condição de compradores, devem se sentir acolhidos dentro da loja. Reserve um espaço para que acompanhantes (maridos/esposa, mãe/pai, crianças, amigos) aguardem de forma confortável até que o cliente realize a compra. Ofereça um espaço para que possam sentar, tomar um cafezinho, uma água, ler ou apenas acomodarem-se para interagir com a experiência de compra do seu “par”.

 

 

    2. EXPOSIÇÃO ADEQUADA DOS PRODUTOS

 

Se o seu mix de produtos é grande e o espaço nem tanto, destaque suas principais ofertas. Não transforme seu ponto de venda em estoque. Separe os produtos por categorias, cores, gêneros e tamanhos, mas procure não apresentar toda sua grade (cores e tamanhos). Se o cliente gostar de tal modelo aí sim ofereça as opções do estoque.

 

Dê preferência a araras e cabideiros, peças dobradas ou engavetadas dificultam a visualização. Lembre-se, o cliente não pode depender somente do vendedor para saber o que sua loja tem a oferecer. Pelo menos um exemplar ou modelo de cada produto deve estar ao alcance dos olhos do cliente. Mostre que tem novidades diariamente. Valorize as suas ofertas.

 

   3. MOBILIÁRIO

 

Para a aquisição do mobiliário da loja recomenda-se planejamento.  É importante ter cuidado com a escolha do mobiliário para não fugir do conceito da loja e torná-la bonita e funcional. Cada tipo de loja necessita de determinados tipos de móveis, por exemplo: uma loja de joias precisa de balcões de vidro e gaveteiros, já uma loja de roupas pode apostar mais em araras e cabideiros. Sempre leve em conta o tamanho do móvel. Em lojas grandes um móvel pequeno pode deixar a aparência de loja vazia. Já em lojas pequenas, os móveis grandes dão a impressão de que a loja é menor ainda e cheia. A melhor solução é contar com um projeto sob medida e personalizado.

 

Pense também no custo benefício e aposte em móveis com qualidade. Produtos de qualidade inferior nem sempre têm uma boa aparência, além de se degradarem muito rápido, exigem constante manutenção.

 

 

4. VITRINE

 

Uma vitrine eficiente se comunica com o visitante. Sendo assim, conte uma história, apresente um conceito, promova uma nova coleção. A vitrine é para os destaques e campanhas. Recicle a vitrine constantemente, assim como os expositores. Todos os dias modifique algo pequeno. Isso chamará a atenção de pedestres regulares, dando a ideia de renovação, de mudança, novidade. Uma vitrine criativa atrai e convida para entrar.

 

   

5. MANEQUINS CRIATIVOS E CONCEITUAIS

 

Para cada conceito de loja existe um tipo de manequim mais adequado, lembrando que o melhor manequim é aquele que destaca o seu produto da melhor forma. A montagem de uma vitrine com manequins exige planejamento, estratégia e habilidade. A exposição deve contemplar uma mensagem, estilo, conceito. O seu cliente deve olhar e se identificar com os looks apresentados nas composições. O boneco, a roupa, a combinação e adereços que complementam o todo, devem estar totalmente alinhados com a sua proposta para o cliente.

 

   6. SINALIZAÇÃO E COMUNICAÇÃO

 

Se tiver espaço para um sinalizador, um totem na frente da loja vale aproveitar, eles ajudam na comunicação e fazem com que mais pessoas, de outros ângulos enxerguem a marca ou mensagem.

É importante ter etiquetas de preços em todas as mercadorias expostas.

Cabides e prateleiras vazios ou muito cheios, sem mobilidade, devem ser evitados, bem como excesso de cartazes com proibições ou de adesivos nas vitrines.  O lojista precisa ter uma boa comunicação e sinalização no estabelecimento: as mensagens devem ser claras e de rápido entendimento.

   

 

    7. FIDELIDADE PARA COM A IDENTIDADE

 

Cada loja tem uma marca, uma identidade com a qual as pessoas devem se identificar. Trabalhe com as cores, respeite o significado e faça da sua marca o destaque da fachada e do interior da loja. 

Faça com que sua identidade esteja implícita na sua arquitetura, na exposição dos produtos e no atendimento.

 

    8. ILUMINAÇÃO

 

Um bom projeto de iluminação faz toda a diferença. A luz ou o jogo de luzes com contrastes podem provocar emoções.  A luz direta ou indireta cria uma atmosfera que mexe com o emocional de cada pessoa. Traz um efeito visual, cria uma ambientação agradável e faz com que o cliente se sinta mais à vontade e confortável dentro da loja. Dê atenção à iluminação em pontos estratégicos como a vitrine, prateleiras, gôndolas e provadores. Importante: a luz do provador merece atenção especial.

   

 

  9. FACHADA

 

A fachada, juntamente com a composição da vitrine, é o primeiro contato do transeunte com a sua loja.  É importante que a comunicação visual da fachada seja desenvolvida por um profissional competente para que atenda seu principal objetivo: transmitir a identidade da loja e a sua proposta.

A identificação do seu negócio pelo passante deve ser rápida. Ao transitar próximo a sua loja, ao olhar para sua fachada deve identificar o seu negócio e não pensar: “Que loja é essa? ” “Será que ali vendem roupas ou vendem pão? ” “Trata-se de uma loja de produtos ou de serviços? ”

Para criar uma fachada bem-sucedida é preciso obedecer a um conjunto de fatores, entre eles a aparência do local. É muito importante estar em harmonia com os conceitos da marca e o entorno em que ela será inserida.

 

 

  10. VENDEDORES

 

O vendedor é o “recepcionista” da loja. A postura deste colaborador é fator determinante para o conforto ou o desconforto do cliente ao entrar em sua loja. Neste caso, falando em gestão visual de loja, o que é importante levar em consideração com relação aos vendedores? Boa aparência, higiene e roupa adequada. Dependendo do tipo ou segmento da sua loja é importante o uso de uniforme para padronizar a imagem do atendimento de acordo com o conceito do negócio. No caso de loja de roupas, vale orientar ou até mesmo estimular o colaborador a utilizar peças que representem bem o estilo da loja. Isso não quer dizer obrigar o vendedor a comprar roupa da sua loja. Apenas estimular com benefícios e ofertas especiais para o colaborador. Até porque, provavelmente seu RH já deve identificar previamente à contratação, se o perfil do profissional se encaixa na sua proposta de negócio para se tornar seu colaborador. Imaginem um atendente de terno e gravata em uma loja esportiva ou um alguém de bermuda em uma loja de trajes. Não dá certo. A comunicação visual fica confusa e a credibilidade da loja e do vendedor fica abalada para fazer a venda.

 

Além disso, treinar seus vendedores para um atendimento cortês é vital para o seu negócio.

 

Compartilhar
Twitter
Please reload

Destaques
Please reload

Posts Relacionados
Procurar por Tags